quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Até Januária, via Montes Claros - 03/01/2008

A próxima cidade era um dilema. Pelo rio, só estradas de terra e nenhuma ligando a cidade seguinte de modo linear. Nesse trajeto, duas cidades recomendadas: São Romão e São Francisco. Decidimos cortar por “dentro”. Ir até Montes Claros e, em seguida Pedras de Maria da Cruz, na beira do rio. E foi o que fizemos. Ia ser difícil. Quase 500km em um único dia.
Logo cedo, um sujeito parou. Errou a estrada entre MG e a Bahia. Ele ia longe. Achamos que íamos com ele até nosso destino. Porém, olhando no meu guia rodoviário (essencial para os caroneiros), ele passava apenas em Montes Claros e seguia por outra rodovia. A conversa foi interessante ao longo do caminho. Ele era minerador. Com seu curso técnico, era um profissional cobiçado. Salário de R$2.700. Um profissional em falta no mercado. E ganhando mais do que muita gente com nível superior. Recomendou muito as profissões ligadas à mineração. Descemos em Montes Claros, cidade importante do norte de MG. Era hora do almoço. Paramos em uma sorveteria para nos deliciar primeiro com a sobremesa. O nosso lanchinho, só na estrada, no outro lado da cidade. A sorveteira ouviu a gente conversando sobre nosso trajeto e nos viu manuseando o guia. Contou que fazia aquele percurso de bicicleta, que gostava de esportes radicais e que era melhor ir para Januária, que era bem mais simpática. Ai, disse que o sogro dela alugava quartos. Disse-nos o nome e a referência da sorveteria lá na outra cidade. Ai, fomos pegar uma van para o outro lado e Montes Claros. Um funcionário dela veio com um papel, com todos os dados. Já havia falado com o homem, que nos aguardava. Pegamos um ônibus até a rodovia. Sol forte. Na frente, “companhias” pegando carona. Almoçamos. Fomos mais pra baixo, numa sombra, onde pegaríamos carona antes. Ai, parou um carro. Cobrando a carona. Dispensei. Parou outro, falando gracinhas. Dispensei. Parou mais um, dizendo que só cabia um. Dispensei. Eta lugarzinho!! Até que parou um cara. Entramos no carro. O sujeito estava extremamente desconfiado. Nem sei porque parou. Desovou-nos em Mirabela, sendo que ia para a cidade seguinte, Japonvar. Demorou para pegarmos uma carona. Andamos até um outro ponto na rodovia e a sorte sorriu pra gente. Parou Celso, um caminhoneiro com um caminhão baú pequeno.

Celso, um caminhoneiro bem gente boa.

O cara mais simpático de todas as caronas. Ele era muito legal. Ficamos conversando sobre vários assuntos. Ele seguia até São João das Missões, onde era proprietário do Supermercado Flores. Já havia morado em Brasília e outras cidades, mas gostava dali mesmo. No meio do caminho, paramos para comprar piqui, uma frutinha que o povo usa pra temperar várias coisas. E que faz bem para a memória! Durante todo o dia, se dá arrotos com seu gostinho e, por isso, ao lembrar da fruta, se estimula a memória. Parou em Januária e se despediu de nós com muita alegria.

8 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal... Que coragem a de vcs. É de pessoas assim q o Brasil precisa.Parabéns...

sidney disse...

Meu maoir sonho e fazer uma viagem, que vai desde da nascente até a fóz, do rio são francisco...
Admiro voces por essa aventura. e se forem fazer outras dessa pelo rio são francisco, por favor me comvide... obrigado e tudo de bom pra vc...

Laura disse...

Preciso de um pouo dessa frutinha... como é o nome mesmo? Hummmm esses meus arrotos sem sabor de lembrança!!! Viva Celso!

Gisele disse...

Olá! Estava lendo o relato no mochileiros.com e adorei. Muito bem escrito e bem resumido, sem deixar de fora os detalhes. Muito legal mesmo, parabéns!

Marcelo disse...

Pois é, Gisele. O objetivo deste meu blog foi esse: resumido, mas nem tanto. Com detalhes, mas nem tantos. E instigante para todos aqueles que querem conhecer mais o Brasil! Viagem linda pelo rio São Francisco. Recomendo a todos!

Anônimo disse...

Muito legal. Com certeza voces jamais esquecerão dessa aventura. Quem dera se eu pudesse participar de uma expedição como essa. Parabéns!

Zeca disse...

Cara, estou meio atrasado no comentário, mas...
Seu blog me deu saudades! Há tempos fiz uma viagem pelo velho Chico e foi a melhor viagem da minha vida.
Mas a sua foi sensacional. Parabéns!

Marcelo disse...

Valeu, Zeca. E esta também foi uma das melhores viagens de minha vida. Simplesmente incrível.

É o velho Chicho nos proporcionando momentos incríveis!